segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Atualizando o blog, de novo

Pois é, vamos lá, mais uma vez, colocar isso aqui em dia, rs. Começando pela Fórmula 1.

Tivemos os GPs da Bélgica, Itália, Singapura, Rússia e Japão. Tempo em que Charles Leclerc tomou gosto por fazer a pole position. Foram quatro seguidas, e uma de Sebastian Vettel, em Suzuka. Nas vitórias, o monegasco conquistou suas duas primeiras, em Spa e Monza, casa da Ferrari. E o alemão venceu no circuito noturno de rua de Marina Bay.

Importante ressaltar a tristeza do final de semana da primeira vitória de Leclerc: um dia antes, na corrida 1 da Fórmula 2, morreu Anthoine Hubert, do programa de pilotos da Renault. O francês teve seu carro atingido em T após a Eau Rouge, em um acidente que envolveu outros carros, pilotados por rapazes que ou saíram ilesos, ou se recuperam de seus ferimentos.

Aproveitando o gancho da categoria que é porta de entrada, tivemos o novo campeão na Rússia: o holandês Nyck de Vries, pupilo da McLaren. E já tem destino confirmado: correrá pela Mercedes na Formula E - ou melhor, já está correndo na pré-temporada. Traição? Não. Estamos voltando a ter uma união anglo-germânica: a McLaren voltará a correr com motores Mercedes-Benz em 2021.

Também tivemos o campeão da Fórmula 3 no mesmo final de semana: Robert Shwartzman, da Ferrari Driver Academy.

Na Mercedes, Lewis Hamilton venceu em Sochi, e Valtteri Bottas, no Japão. Com isso, os tedescos alcançaram seu hexacampeonato consecutivo. E claro, dedicaram a conquista ao grande Niki Lauda.

Falando em títulos, Marc Márquez conquistou seu oitavo no mundial de motovelocidade, sendo 6 na MotoGP. E na IndyCar, Joseph Newgarden tornou-se bicampeão.

Além disso... bem, nada demais: Haas inacreditavelmente renovando com Romain Grosjean e Kevin Magnussen; Robert Kubica deixando a Williams e Fórmula 1, tendo como provável destino a Audi Sport no DTM; e não sei se falei de Esteban Ocon na Renault para o ano que vem, deixando Nico Hülkenberg à pé.

Acho que isso é tudo. Até a próxima!

P.S.: ah! Deixa eu contar para vocês: pela primeira vez, irei ao GP do Brasil de Fórmula 1!

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Atualizações rapidinhas

Acalmem-se, pois ainda não deu tempo de "abandonar" o blog de novo, rs.

Da última vez, esqueci de falar que a IndyCar, em parceria com a Red Bull, irá implementar o Aeroscreen em seus carros a partir do ano que vem. E não sei se comentei antes, mas a partir de 2022, a categoria adotará motores híbridos.

Outra coisa da qual havia me esquecido de falar é que, visto o excelente trabalho colocando a McLaren em 4º lugar no Mundial de Construtores, Carlos Sainz Jr. e Lando Norris tiveram seus contratos renovados com o time de Woking. Já, já, volto para falar mais deste certame.

Dito isso... Recentemente, mais precisamente no último domingo, tivemos a Corrida do Milhão da Stock Car.

Como visitante pela RC Eurofarma, Lucas di Grassi cravou a pole position, tendo ao seu lado seu então companheiro para a prova em Interlagos, Ricardo Maurício.

E o campeão mundial da Formula E teria vencido. Até cruzou a linha de chegada na frente de todos. Porém, havia feito uma ultrapassagem cortando a entrada dos boxes, como Felipe Massa em sua última corrida pela Ferrari, em 2013.

Recebeu uma punição de passar pelos boxes. Obedeceu? Não. Até hoje não assumiu o erro. Por isso, acabou desclassificado. E a vitória e o milhão, nas mãos de Maurício.

Por fim, na Fórmula 1, mais especificamente hoje, inclusive, o dia já começou daquele jeito:

- calendário de 2020 anunciado com possíveis 22 provas;
- Mercedes renovando com Valtteri Bottas;
- a confirmação de um rumor de poucos dias, com Esteban Ocon no lugar de Nico Hülkenberg na Renault para o ano que vem;
- Marcus Ericsson correndo em Spa no lugar de Kimi Raikkonen, que lesionou um músculo na perna;

Ah, sim! Este final de semana, a categoria volta, com o GP da Bélgica. E como já devem saber, teremos uma pequena mudança no grid: Pierre Gasly de volta à Toro Rosso, e Alex Albon promovido para a Aston Martin Red Bull.

Bem, espero voltar até domingo ou no meio da semana que vem. Abraços!

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Olha quem voltei!

Saudações, amantes dos motores e da velocidade! Faz quase dois meses, hein?

Olha, depois de um unanimemente terrível GP da França de Fórmula 1, eu fiquei tão desanimado, que nem escrevi. Assim, começou a bola de neve.

Bem, a etapa francesa foi vencida por Lewis Hamilton.

Achei ruim por ser a Mercedes? Não. Porque foi chato, mesmo. O próprio inglês depois teve vitórias sensacionais em sua corrida em casa, em Silverstone e, principalmente e mais recentemente, no GP da Hungria, neste domingo, superando a Aston Martin Red Bull-Honda de Max Verstappen, que havia conquistado sua primeira pole position.

A propósito, o holandês mais os austríacos junto aos japoneses, se mostraram uma força capaz de peitar a hegemonia das Flechas de Prata. Venceu com maestria o GP da Áustria, sede rubro-taurina, numa linda recuperação mesmo após largar na primeira fila, onde Charles Leclerc fez mais uma pole pela Ferrari, e a caótica etapa germânica, com chuva, que teve o outro ferrarista, Sebastian Vettel e Daniil Kvyat de volta ao pódio, agora de Toro Rosso-Honda, que não alcançava tal feito desde 2008, justamente com o campeão mais jovem da história da categoria.

Um degrau abaixo, tivemos vitória e pódios de Sérgio Sette Câmata, da DAMS.

Na Formula E, aconteceu o primeiro bicampeonato: Jean-Éric Vergne. Desta vez com a DS Techeetah faturando o título de equipes.

O vice foi... Lucas di Grassi, da Audi Sport? Não. Mas disputou até o final. Porém, foi superado por Sébastien Buemi, da Nissan NISMO e.dams. Mais um vencedor diferente, de uma equipe diferente. Foi um dos campeonatos mais equilibrados que eu já vi em toda a minha vida no esporte a motor.

E falando em Buemi, este venceu de novo as 24h de Le Mans pela Toyota na LMP1, ao lado de Fernando Alonso e Kazuki Nakajima. O suíço e o espanhol, mais uma vez, foram campeões mundiais.

Na LMP2, vitória e título de André Negrão, de novo. E na GTE-Pro, mais uma vitória para o atual bicampeão da Stock Car, Daniel Serra, desta vez com a Ferrari da AF Corse. Era para termos ainda Felipe Fraga na GTE-Am, porém a inspeção pós prova desclassificou seu Ford GT por uma irregularidade.

Ah! Quase me esqueci: voltando aos elétricos, tivemos o fim da primeira temporada do Jaguar I-Pace eTrophy, com títulos do Time Brasil e Sergio Jimenez, com Cacá Bueno vice, tendo boas vitórias e poles, também.

E acho que é isso, pessoal. Fiz isso rapidinho só para deixar tudo registrado. Vou tentar me ausentar menos. Um abraço a todos!